Especialistas apontam os principais desafios do meio ambiente no Brasil

Compartilhe:
Pássaro na Reserva Biológica Tamboré. Foto: Zé Eduardo Camargo
Pássaro na Reserva Biológica Tamboré. Foto: Zé Eduardo Camargo

Quando você pensa em meio ambiente, sabe quais são os principais desafios que temos no Brasil?

Neste mês do Meio Ambiente, com objetivo de trazer essa reflexão e inspirar atitudes positivas, buscamos a resposta dessa pergunta com três especialistas que são referências no assunto.

Suzana Pádua, presidente do IPÊ

“Os brasileiros ainda não despertaram para o grande valor do meio ambiente que temos em nosso país. Muito pelo contrário. As nossas matas nativas, por exemplo, são vistas como um entrave para o progresso, ao invés de servirem como fontes de inspiração para um desenvolvimento diferenciado, tendo sustentabilidade como pano de fundo. Com isso, o desmatamento continua destruindo ecossistemas riquíssimos em biodiversidade, causando perdas inestimáveis e prejuízos à proteção da água, do solo e do ar, além do que nem nos damos conta. Há falta de investimentos em conhecimentos, que poderiam reverter esse panorama e trazer inspiração de como as riquezas naturais podem beneficiar a economia e as condições sociais, sem a perda da natureza como ocorre atualmente. O Brasil tem um potencial único de instituir um novo modelo de desenvolvimento que seja sustentável e que leve em conta as riquezas socioambientais encontradas em todo o seu território. É uma questão de vontade e empenho de não desperdiçar o que temos. Precisamos querer com empenho e determinação, pois vale a pena!”

Dal Marcondes, diretor-executivo Instituto Envolverde

“O Brasil é um dos países do mundo onde o termo Meio Ambiente tem mais significados. Dono de seis importantes biomas e com pouco mais da metade de seu território dentro da Amazônia, o país tem, também, quase 7,5 mil quilômetros de litoral e alguns dos rios mais caudalosos do mundo. Só isso já seria muito mas, além disso, o Brasil é hoje um dos mais fortes produtores de commodities agropecuárias e minerais do planeta. Com uma população de 200,4 milhões de pessoas, algumas centenas de etnias indígenas, 5.570 municípios e 69 regiões metropolitanas reconhecidas, o Brasil tem questões ambientais urgentes que vão desde o abastecimento de água e saneamento básico, poluição urbana, coleta e tratamento de resíduos, até preservação florestal e ordenamento da pesca em oceano e rios. No entanto, se fosse eleger um problema que deve ser atacado de frente e que ajudaria em muitos outros, é a gestão de resíduos e saneamento básico. Lixo e esgoto os males do Brasil são, como diria Macunaíma.”

Marcia Hirota, Diretora-executiva da Fundação SOS Mata Atlântica

“Um dos maiores desafios para o meio ambiente é engajar a população de forma a trazer as questões ambientais para o dia a dia das cidades. Cobrar as autoridades responsáveis é apenas parte do desafio porque quase 72% dos brasileiros vivem na Mata Atlântica, em 17 Estados, e boa parte não associa a preservação do bioma a uma melhor qualidade de vida. Por essa razão, a Fundação SOS Mata Atlântica, em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), criou o hotsite  ‘Aqui Tem Mata’, que possui informações sobre os 3.429 municípios abrangidos pela Lei da Mata Atlântica. O hotsite mostra ao cidadão a situação das florestas naturais do município de forma a poder contar com a participação de todos na proteção deste bioma, que é Patrimônio Nacional.”

Juliana Silva, Gerente de Socioecoeficiência da Fundação Espaço ECO® (FEE®)

“Para nós, o Brasil precisa pensar cada vez mais na Sustentabilidade de suas ações, é necessário entender que as roupas, alimentos, entre outros produtos que consumimos, possuem uma trajetória até chegar a nós. Chamamos isso de Avaliação do Ciclo de Vida, ou seja, avaliar os impactos gerados ao longo de toda a cadeia produtiva, desde a extração das matérias primas, uso e até descarte dos produtos. As empresas também têm seu papel.”

Leia também: 
– Mata Atlântica: conheça 3 espécies ameaçadas de extinção

Matéria atualizada em 7/06/2016