Dicas para ser mais sustentável em grandes cidades

Compartilhe:

alface

Mesmo morando em cidade grande, existem algumas ações práticas para você se conectar com um estilo de vida mais saudável e consciente. Confira, abaixo, algumas dicas:

1 – Economize, reduza e reaproveite a água

O Sistema Nacional de Informações de Saneamento Básico do Ministério das Cidades calcula que o consumo de água é de, em média, 166,3 litros/dia no Brasil. A ONU recomenda um consumo de 110 litros de água por pessoa, ao dia, tanto para consumo quanto higiene. Por isso, é importante que cada um tenha atitudes mais conscientes, como evitar banhos demorados; desligar a torneira enquanto escova os dentes ou ensaboa as louças e usar a água do enxágue da máquina de lavar roupas para lavar o quintal.

2 – Cultive plantas em casa

Se ter plantas em casa é uma das formas de deixar você mais conectado com a natureza, imagine plantá-las e cultivá-las? Estudos afirmam que cuidar das plantas reduz o estresse e ajuda quem está doente a ter uma recuperação melhor. Você pode começar plantando em vasinhos, em casa mesmo. As ervas são ótimas opções para dar o primeiro passo, por crescerem rápido e serem práticas.

3 – Evite plásticos

As sacolas retornáveis são ótimas opções para evitar os plásticos. Procure também não usar alimentos embalados de maneira excessiva e valorize aqueles que vendem da forma mais natural possível (como bandejas de isopor, por exemplo). Você sabia que muitos desses resíduos plásticos não são reciclados, nem encaminhados para os aterros? Por isso, antes de descartar, tente nem usar.

4 – Compre de produtores locais

Ao comprar de pequenos produtores, você ajuda a diminuir a crise dos alimentos.
É o que defende Michel Pimbert, diretor do Programa de Agricultura Sustentável, Biodiversidade e Subsistência do Instituto Internacional para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (IIED). “O fim da fome e da desnutrição vai depender do apoio que essas instituições receberão por meio de subsídios apropriados e medidas para proteger os mercados locais e nacionais da concorrência de comida barata importada de outros lugares. O desafio é ampliar em escala e difundir as soluções encontradas em cada lugar”, afirma.

5 – Seja mais consciente na hora de comprar seus alimentos

Antes mesmo de fazer suas compras, faça a lista do que está faltando, incluindo a quantidade ideal. Ao fazer isso, você ajudará a evitar o desperdício de alimentos e de dinheiro.

Com informações dos sites Ciclo Vivo e Planeta Sustentável.

Conheça 5 formas de fazer a sua horta

Compartilhe:

radish-sprouts-1407319_1280

Quer fazer a sua horta, mas não sabe por onde começar? Separamos cinco maneiras que vão ajudá-lo a dar os primeiros passos a partir de matérias que publicamos no nosso blog.

1. Aprenda a fazer hortas em pequenos espaços
A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) produziu o livro Horta em pequenos espaços, que busca “empoderar” as pessoas na criação de hortas em pequenos espaços.

2. Faça uma horta com irrigação por capilaridade
A irrigação por capilaridade pode ser ideal se a sua ideia é otimizar tempo. Criada pelo projeto “Food is Free com materiais reaproveitados, ela permite que você fique tranquilo mesmo quando não puder regá-la diariamente.

3. Dicas para fazer hortas em um metro quadrado
Aqui contamos como você pode fazer a sua horta tanto em um apartamento quanto em um espaço pequeno de terra. Preparamos dicas e explicamos como fazer o plantio.

4. Faça a sua horta hidropônica caseira
Um projeto básico de horta hidropônica tem baixo custo, entre R$150 e R$200, nos projetos mais simples. Na hidroponia, as plantas não crescem fixadas ao solo e, sim, na água. Desta forma, os nutrientes que elas necessitam para se desenvolver são dissolvidos na água, passando por suas raízes.

5. Horta em casa
Confira dicas básicas para começar a fazer uma horta em casa, incluindo algumas orientações de como mantê-la.

Aprenda a fazer hortas em pequenos espaços

Compartilhe:
brotos-rabanete
Brotos de rabanete. Foto: Pixabay

 

Para começar uma horta, basta força de vontade e orientações de quem entende do assunto. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) produziu o livro “Horta em pequenos espaços”, que busca empoderar as pessoas na criação de hortas em pequenos espaços.

Especialistas de diferentes áreas apoiaram a realização do livro com objetivo de promover a segurança alimentar e aumentar a interação com as plantas — atividade que pode auxiliar na prevenção do estresse.

O livro está disponível, gratuitamente, em PDF e traz dicas, como a escolha do lugar ideal, o cuidado com o preparo da terra e também direcionamento sobre a quantidade de luz, água e os tipos de nutrientes necessários para o melhor desenvolvimento dos alimentos. Há também uma preocupação em incentivar o uso de materiais reaproveitados para a horta, como garrafas PET, latas, telhas, tambores, canos de PVC, entre outros materiais.

Se você se interessa pelo assunto, baixe o livro “Horta em pequenos espaços” na íntegra.

Com informações do portal Ciclo Vivo.

Dicas para fazer compostagem em casa

Compartilhe:

Sabia que é possível fazer compostagem em casa? Conversamos com Osvaldo de Brito, educador ambiental, que faz compostagem há mais de 20 anos. Ele compartilhou o passo a passo do processo que realiza. Quando a compostagem não era um assunto tão conhecido como agora, a prática já fazia parte da sua rotina em casa, transformando os resíduos orgânicos em adubo.

Como nem todo mundo tem onde enterrar resíduo orgânico, a partir das orientações do Osvaldo, ensinamos um jeito prático de fazer compostagem e ajudar a reduzir os descartes em casa.

Osvaldo prepara uma composteira caseira. Foto: Arquivo pessoal

Compostagem em apartamentos com minhocário doméstico

1 – Antes de começar a compostagem, pense em qual recipiente você transformará em sua composteira. Compre caixas próprias de minhocário doméstico ou improvise. Osvaldo afirma que já chegou até a utilizar balde plástico para fazer compostagem.

2 – Com três caixas em mãos, pense na separação dos resíduos que irão para a sua composteira. Separe os resíduos orgânicos dos recicláveis.
Para fazer isso, Osvaldo usa um escorredor sobre a lixeira (um balde de alumínio pequeno). Dentro do balde, a orientação é para depositar o resíduo sujo, que não deve ir para a reciclagem. No escorredor, jogue as sobras de legumes, verduras, guardanapos, alimentos preparados, ossos, etc.
Importante: não use os restos animais ainda crus nesse tipo de compostagem.

Você pode encontrar o minhocário doméstico pela internet. Segundo Osvaldo, há vários fornecedores para isso.

3 – Separe as três caixas empilhadas com tampa (as duas da parte superior furadas no fundo, e a terceira como reservatório do chorume).

4 – Misture a matéria orgânica.
Nesse método de compostagem, a matéria orgânica deve ser misturada da seguinte forma: uma parte molhada com duas ou mais partes secas. Essa mistura tem que ser realizada para que aconteça um equilíbrio de nitrogênio e carbono, permitindo que a matéria se decomponha e não apodreça.

No caso de matéria orgânica com muita água, como cascas de melão e melancia, deve-se aumentar a quantidade de material seco (Osvaldo recomenda o uso de serragem grossa encontrada nas serrarias ou podas de grama).
O próximo passo é colocar o material que você misturou dentro das caixas com minhocas vermelhas da Califórnia (você pode encontrá-las em criadouros e casas de pesca).

5 – Pronto! Entre 30 e 60 dias, seu material orgânico virará húmus e o chorume virará adubo orgânico líquido. “Este é melhor adubo natural para as plantas”, afirma Osvaldo.

O minhocário doméstico deve ser protegido do sol e chuva. Não coloque sobras de animais, frutas cítricas (laranja, limão, abacaxi e outros), alimentos prontos, principalmente com sal e produtos industrializados.

Dicas para iniciantes

“Seja qual for o método escolhido, comece devagar. Use guardanapos, cascas de ovos, cascas de alho, cascas de cebola, o pão que ficou esquecido na gaveta, etc. Junto com essa matéria orgânica seca, adicione cascas de banana, maçã e outras matérias orgânicas molhadas. Não tem como não se encantar ao ver um grande problema se transformando em solução. Afinal, nosso problema com o lixo não termina quando ensacamos e colocamos na rua. Ali, um grande problema está apenas começando”, finaliza Osvaldo.

Leia também:

Voluntariado muda vida de taxista
Prefeitura de São Paulo incentiva compostagem dentro de casa
Especial férias: dicas de Faça você mesmo
Dicas do que deve e do que não deve ser colocado na composteira
Compostagem dentro de casa