Instituto Brookfield encerra o ciclo de participação direta na gestão do Projeto Ambientes Saudáveis

Compartilhe:

No dia 20/03, o Instituto Brookfield (IB) realizou um café da manhã para marcar o encerramento do ciclo de sua participação direta no dia a dia do Projeto Ambientes Saudáveis (PAS), em Goiânia (GO). Os equipamentos públicos participantes e lideranças comunitárias, já empoderados e integrados no processo de continuidade do Projeto, foram os convidados do evento, que aconteceu na Escola Municipal Manoel Jacintho Coelho, no bairro Jardins do Cerrado VI.

O Projeto Ambientes Saudáveis concretizou a elaboração de um diagnóstico socioambiental participativo, e a adesão de grupos dos equipamentos públicos, que elaboraram uma agenda sustentável para o bairro Jardins do Cerrado (agenda de projetos). Foram três anos de muito trabalho, engajamento comunitário, parcerias, elaboração e implantação de projetos, captação de recursos, formações e integração de políticas públicas.

“Passamos o bastão da gestão do dia a dia do Projeto. Todos os atores, participantes do Projeto, são corresponsáveis pela continuidade e desenvolvimento contínuo do território”, disse Andréa Rissardo, coordenadora do PAS.

Durante o encontro, a equipe fez uma dinâmica de reconhecimento das ações e planejamento do que está por vir. Todos escreveram sobre suas respectivas atividades realizadas e suas futuras responsabilidades no Projeto.

O olhar da equipe

Maria Oliveira, coordenadora pedagógica do PAS, destaca a criação dos laços e a união do grupo. “Sinto uma felicidade imensa por perceber que começamos um trabalho e disponibilizamos conhecimentos e ferramentas para que as pessoas revejam suas práticas e continuem promovendo ambientes saudáveis. O projeto foi extenso e vivemos muitos desafios. Apesar disso, o grupo que ficou até o fim já tem resultados para mostrar, sente-se mais autônomo e cooperativo e quer continuar o trabalho”.

Já Thaís Cruvinel, técnica pedagógica do Projeto, enfatizou os resultados. “Agora é possível afirmar que, com a semente plantada, teremos ambientes mais saudáveis e sustentáveis nos equipamentos públicos. O sentimento é de alegria por ver uma comunidade mais aberta a esse tipo de projeto, escolas mais limpas, em processo de arborização crescente, com alimentação mais saudável, postos de saúde e Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) mais conscientes de seu papel educador para a comunidade”, contou.

O Instituto continuará acompanhando a continuidade do Projeto, agora gerido pelos atores locais. Fique ligado e confira as novidades aqui no blog do IB e na nossa página no Facebook.

Projeto organiza mutirão de revitalização de horta em espaço escolar

Compartilhe:
Comunidade em ação durante o mutirão na horta do CMEI. Foto: “Eu sustento, tu sustentas, nós sustentabilidade”.

Na sexta-feira (6/03), a equipe do projeto “CMEI e Comunidade: Um ambiente Saudável e Sustentável”, agora chamado de “Eu sustento, tu sustentas, nós sustentabilidade”, organizou um mutirão para realizar a revitalização da horta do Centro Municipal de Educação Infantil Ipê Amarelo, do bairro Jardins do Cerrado VI (CMEI), em Goiânia (GO).

Toda a comunidade foi chamada para participar do evento. Além da limpeza geral do espaço da horta, pais, crianças, professores e equipe do CMEI prepararam a terra dos pneus (que são suporte para a horta suspensa), cuidaram da adubação da terra, tiraram ervas daninhas, fizeram covas para o pomar e prepararam sementes e mudas.

Leia também:
–  Curso de criação de pomar incentiva alimentação saudável em Goiânia.

As crianças, que têm entre dois e cinco anos de idade, costumam participar ativamente do cuidado da horta e do jardim, com suas ferramentas de brinquedo, como a pá e o regador. As professoras intercalam os grupos para ninguém ficar de fora da atividade.

“A horta tem agrião, cebolinha, alface, couve, jiló, pimenta e erva cidreira. A dinâmica da escola é a seguinte: antes de entrarem no período de férias, realizamos a colheita de tudo o que existe na horta. Quando voltamos, preparamos tudo novamente e criamos uma agenda de ações para cuidar dela”, conta a coordenadora do projeto, Mayamy Yamaguchi.

Segundo Mayamy, eles também já estão criando um pomar. “Primeiro, fizemos a preparação das sementes para criar as mudas. Vamos ter maracujá, mamão, limão, laranja lima e acerola”, disse.
“Além do pomar e da horta, temos o jardim todo arborizado. Preparamos tudo isso para conscientizá-los em relação à qualidade da alimentação, o cuidado com o meio ambiente e com a horta durante as aulas, o senso de responsabilidade, entre outros aspectos”, disse.

Esse já é o terceiro ano do projeto, com resultados positivos. “Buscamos a conscientização dos alunos e um ambiente escolar mais saudável, como exemplo concreto para eles. Hoje, aqui no ambiente escolar, as crianças conversam, falam de literatura, de cuidar da horta, de comer alimentos naturais. Eles perguntam se vão comer salada e um conscientiza o outro para ter cuidado com a horta”, finaliza Mayamy.

O Projeto “Eu sustento, tu sustentas, nós sustentabilidade” é um dos projetos criados pela comunidade por meio do Projeto Ambientes Saudáveis, do Instituto Brookfield, que tem o objetivo de promover ambientes saudáveis por meio do desenvolvimento local integrado, dinâmico e sustentável do Jardins do Cerrado, bairro localizado em Goiânia.

Jardim pronto após o mutirão no CMEI. Foto: Eu sustento, tu sustentas, nós sustentabilidade / Divulgação.
A horta do CMEI após o mutirão. Foto: Eu sustento, tu sustentas, nós sustentabilidade / Divulgação.

O pomar do CMEI após o mutirão. Foto: Eu sustento, tu sustentas, nós sustentabilidade / Divulgação.

Escola municipal de Goiânia (GO) engaja alunos para cuidar de horta

Compartilhe:
Horta orgânica da Escola Municipal Manoel Jacintho Coelho, em Goiânia (GO). Foto: Instituto Brookfield.

A horta orgânica da Escola Municipal Manoel Jacintho Coelho, em Goiânia (GO), agora está mais colorida. Não só por causa dos legumes e verduras, mas graças à iniciativa da escola de mobilizar seus alunos com uma campanha de arrecadação de garrafas PET para decorar a horta, que já tem alface, cenoura, beterraba, salsinha, coentro, couve e cebola.

A ação faz parte do Projeto Horta Sustentável – Recolorindo a Escola, com o objetivo de decorar a horta e, ao mesmo tempo, conscientizar os alunos em relação à alimentação saudável e à reutilização dos materiais recicláveis. Para isso, o projeto envolve os jovens no cuidado com a horta, que futuramente será utilizada para impulsionar o aprendizado de várias disciplinas.

“A equipe do projeto colocou água com tinta guache dentro das garrafas, cercando os canteiros com elas. Isso dará um visual mais bonito para a horta e também evitará que as formigas ataquem as hortaliças”, disse Thais Cruvinel, técnica do Projeto Ambientes Saudáveis, parceiro da iniciativa. A campanha foi suficiente para cercar seis canteiros, cada um deles com 50 garrafas.

Sandra Maria Ferreira Santana, coordenadora da escola e participante do projeto, afirma que os resultados da mobilização foram surpreendentes. “A ação durou uma semana e conseguiu arrecadar tantas garrafas que recebemos além do que precisávamos. Por isso, vamos doar os excedentes para as hortas de duas escolas da região: o CMEI do Jardins do Cerrado VI e a Escola Municipal Joaquim Câmara Filho. Para ter uma ideia da quantidade de garrafas que recebemos, conseguimos encher uma sala de 30 metros quadrados somente com elas”, contou.

O interesse dos alunos pela iniciativa foi tanto que agora muitos querem ser voluntários da horta. A professora Medeya Costa Bueno, coordenadora do projeto, cuida de uma escala de revezamento para organizar a participação e os cuidados com a horta. Além disso, há planos para ampliação da horta, para que as verduras e legumes deem conta da alimentação de todos os alunos da escola.

Curso de criação de pomar incentiva alimentação saudável em Goiânia

Compartilhe:
Curso de pomar em Goiânia. Foto: Instituto Brookfield.

Com o objetivo de divulgar a cultura do pomar nas comunidades, o Projeto “CMEI e Comunidade: Um ambiente Saudável e Sustentável” promoveu o curso Treinamento em Formação e Condução de Pomar Caseiro, no Centro Municipal de Educação Infantil Ipê Amarelo do bairro Jardins do Cerrado VI (CMEI). As oficinas tiveram uma carga horária de 24 horas, distribuídas entre os dias 30/10 e 01/11.

A ideia é inspirar a implantação do pomar nas instituições parceiras e, consequentemente, incentivar a criação de espaços educativos e melhorar a alimentação dos alunos. A iniciativa do curso aconteceu em parceria com o SENAR-GO, o Sindicato Rural de Trindade e o Projeto Ambientes Saudáveis (PAS), do Instituto Brookfield.

As aulas foram ministradas pelo professor Ricardo Pereira Silva, do SENAR-GO. Os participantes tiveram a oportunidade de aprender várias ações para criar e manter um pomar. Entre elas, foram: planejamento do pomar; formação e aquisição de mudas; demarcação, coveamento e adubação de plantio; tipos e épocas de podas, amarrio e condução de plantas; adubação em cobertura e irrigação; espaldeiramento; plantio das mudas; controle de pragas, doenças e plantas invasoras; colheita, aproveitamento e conservação das frutas.

Experiência para dar certo

Em 2012, o CMEI chegou a iniciar um pomar com algumas plantas, como pés de limão, acerola, laranja e abacaxi, mas tiveram alguns desafios: algumas plantas morreram, adoeceram ou não se desenvolveram como esperado.

Segundo Thais Cruvinel, técnica do PAS, durante as oficinas, o instrutor Ricardo orientou a poda e a adubagem dessas plantas para tentar recuperá-las. Também foram feitas mudas de limão, maracujá, figo e quinquan. Além disso, os alunos do curso plantaram uma muda de laranja e prepararam outras três covas com o objetivo de plantar, após 20 dias, as mudas de tangerina ponkan, caju e acerola.

Sobre o Projeto CMEI e Comunidade

O Projeto CMEI e Comunidade foi desenvolvido pelo CMEI Ipê Amarelo, localizado no Jardins do Cerrado VI, em parceria com o Projeto Ambientes Saudáveis, do Instituto Brookfield. O objetivo é envolver a comunidade em ações relacionadas à arborização, horta escolar, pomar e coleta seletiva. Os temas são trabalhados de forma prática e teórica, nos diversos agrupamentos da unidade.

Projeto Ambientes Saudáveis realiza oficinas de captação de recursos em Goiânia

Compartilhe:
Oficina de captação de recursos. Foto: Projeto Ambientes Saudáveis / Instituto Brookfield

No início do mês, o Projeto Ambientes Saudáveis (PAS) realizou duas oficinas de captação de recursos, em Goiânia (GO), para a comunidade local. O objetivo foi repassar informações básicas sobre o assunto, considerando recursos financeiros, materiais, estruturais e humanos.

A partir disso, a ideia é que a formação ajude a comunidade a manter os projetos que desenvolve no âmbito do PAS e nas ações das escolas, unidades básicas de saúde, entre outras instituições públicas da região.

As oficinas aconteceram na Escola Municipal Joaquim Câmara Filho e no Centro de Referência em Assistência Social do Jardins do Cerrado I (CRAS), nos dias 8 e 9 de outubro.

“Com as oficinas, buscamos estimular a prática de mobilização de recursos, a fim de ajudar na garantia da sustentabilidade de projetos. A ideia é que, ao término da oficina, as equipes estejam subsidiadas para uma boa captação de recursos, sabendo elaborar e executar um plano básico de captação, considerando as necessidades que têm em seus projetos ou mesmo em suas ações rotineiras”, disse Thaís Cruvinel, técnica do Projeto Ambientes Saudáveis.

Segundo a equipe do PAS, em breve, a oficina de captação de recursos terá continuação, com uma parte prática, onde as equipes farão plano de captação, definindo um ou mais recursos que necessitarão captar para os respectivos projetos.

“No final da atividade, até mesmo os que diziam não ter talento para mobilização acabaram sugerindo pessoas, materiais e parcerias que podem contribuir para os projetos em andamento. Este processo é muito gratificante para nós que facilitamos o trabalho e para eles que descobrem novas habilidades e potenciais”, disse Maria Oliveira, assessora socioambiental do Instituto Brookfield.

Oficina de captação de recursos. Foto: Projeto Ambientes Saudáveis / Instituto Brookfield