Aprenda a recuperar uma planta seca

Compartilhe:

plant-1603702_1280

Você sabia que é possível recuperar uma planta que secou?

Saiba como fazer com o passo a passo que é bastante simples:

1 – Corte as folhas e os galhos secos;
2 – Retire a planta do vaso com cuidado. Se ela estiver em uma cama de plantio ou no jardim, tire todo o bloco de terra que a envolve. Muito cuidado para manter as raízes intactas;
3 – Coloque a planta — junto com a terra — em um recipiente maior do que o seu tamanho, cheio de água morna. Este passo é essencial para aumentar a absorção da água na terra;
4 – Deixe a planta hidratando por, aproximadamente, dez minutos;
5 – Para que o excesso de água seja drenado, retire a planta do recipiente e a coloque em um prato;
6 – Depois, leve a planta de volta ao seu vaso ou área de plantio;
7 – Pulverize as folhas com água;
8 – Se a sua planta secou por ficar tempo demais exposta ao calor e ao sol, deixe-a na sombra por algum tempo até que ela se recupere;
9 – Por alguns dias, observe o comportamento da planta. O ideal é que o solo permaneça úmido e, aos poucos, ela recupere o seu vigor.

Além dessas dicas, para quem prefere visualizar o passo a passo, buscamos um vídeo que também conta esse processo com detalhes. Assista:

Fontes: Ciclo Vivo e Nô Figueiredo

Passo a passo: aprenda a plantar abacaxi em casa

Compartilhe:

abacaxi

Você sabia que é possível cultivar frutas em casa ou dentro do apartamento?

O abacaxi, por exemplo, pode ser plantado tanto em uma horta ou como em pequenos vasos. Neste caso, lembre-se que os frutos não devem ter o mesmo tamanho daqueles que encontramos nos supermercados e feiras. Para que o abacaxi fique maior, é importante plantá-lo em uma área que tenha 1,8 metro de largura por 1,8 metro de altura.

Confira o passo a passo:

1 – Escolha um abacaxi orgânico;

2 – Retire a coroa. A indicação é que você faça isso com a própria mão, torcendo o abacaxi até que a ela saia totalmente. Isso vai garantir que o miolo permaneça inteiro. Importante: a fruta deve estar madura e não pode ter a presença de larvas e insetos perto da coroa;

3 – Para que o miolo fique mais evidente, retire algumas folhas inferiores;

4 – Depois desse processo, deixe o miolo secar por uma semana. Esse processo é importante para que as cicatrizes sequem e se desenvolvam melhor no próximo passo;

5 – Coloque a coroa em um recipiente com água. A imersão é semelhante ao processo realizado com a batata, deixando apenas a parte do miolo do abacaxi em contato com a água. Para facilitar, use palitos para equilibrá-lo no topo do copo, se necessário. Troque a água com certa frequência para evitar a presença de larvas ou mofo;

6 – Observe o crescimento das raízes. Isso acontece em algumas semanas. Mantenha a coroa na água até que as raízes cresçam alguns centímetros;

7 – Remova a coroa para um vaso. Agora, com as raízes mais desenvolvidas, o próximo passo é tirar a coroa da água e plantá-la em um vaso de aproximadamente 15 centímetros. O solo deve ter terra e 30% de adubo orgânico. Apenas o miolo será plantado e as folhas permanecerão fora da terra, como no processo inicial de colocá-lo na água;

8 – Cuide da planta. Para que o seu abacaxi possa se desenvolver, você precisa cuidar da plantinha. Como ele gosta de ambientes úmidos e quentes, mantenha-o em locais que tenham temperaturas sempre acima dos 18ºC e que, de preferência, recebam luz indireta durante todo o ano. Na medida em que o abacaxi for se desenvolvendo, você pode também colocá-lo ao sol;

9 – Aguarde o florescimento do abacaxi. O momento tão esperado também requer paciência. Antes da fruta aparecer, você vai ver uma flor pequena no centro da coroa. É a partir dela que o abacaxi irá se desenvolver.

Com informações do Ciclo Vivo.

Dicas para fazer uma horta com irrigação por capilaridade

Compartilhe:

 

horta_pallet
Foto: iStock by Getty Images

Se você quer ter uma horta e otimizar seu tempo, a irrigação por capilaridade pode ser ideal. Criada pelo projeto “Food is Free” e feita com materiais reaproveitados, ela permite que você fique tranquilo mesmo quando não puder regá-la diariamente.

Abaixo, acompanhe o passo a passo feito pela equipe do portal Ciclo Vivo. Para mais detalhes, assista ao vídeo.

1 – Corte dois pallets em quatro partes;
2 – Fixe as partes de madeira, formando as laterais de uma caixa;
3 – Use as sobras de tiras de madeira para cobrir as bordas superiores da cama de plantio;
4 – Leve a cama até o local em que você vai instalar a horta e marque a área que será ocupada no chão;
5 – Retire a cama e cave um pouco a área marcada. Esse passo é para que ela fique melhor acomodada no solo;
6 – Preencha as paredes da cama com placas de plástico ou metal reaproveitadas. Faça a mesma coisa com o fundo;
7 – Agora, cubra o fundo da estrutura com lona ou plástico reaproveitados até, aproximadamente, dois palmos acima do chão;
8 – Faça uma cama de argila ou de pedras até a altura do plástico;
9 – Para o sistema de irrigação, separe dois canos de PVC (um fino e outro grosso). O primeiro deles deve receber pequenos furos em toda a sua estrutura e disposto na horizontal, em cima das pedras. O mais grosso deverá apenas ser “fincado” nas pedras, na vertical, com o mais fino acoplado a ele. A altura deve ser superior às bordas da cama;
10 – Para cobrir as pedras, use juta ou sacos de batata. Essa estrutura vai manter o solo sempre úmido;
11 – Encha a cama de terra e plante as mudas;
12 – Molhe o solo e lembre-se: essa será a única vez em que a água será despejada diretamente na terra. Em seguida, a irrigação será feita apenas pelos canos para que a água se espalhe igual e gradualmente por toda a horta.

Leia também:
Dicas para o cultivo de alface
Dicas orgânicas para cuidar da horta

Dicas de gentilezas para colocar em prática

Compartilhe:

Quantas gentilezas você já fez hoje? Na rua, na sua casa, no trabalho…enfim, nos lugares por onde você anda? No Dia Mundial da Gentileza, comemorado em 13 de novembro, o Instituto Brookfield destaca a importância de trazer esse cuidado diário com a nossa cidade.

Acreditamos que, ao cuidarmos das nossas ações, estamos também cuidando do próximo. E, ao fazermos isso em cada uma das nossas ações, estaremos também contribuindo para termos uma cidade mais feliz, com pessoas comprometidas em fazer cada vez melhor para todos. Essa é a ideia: gentileza realmente gera gentileza.

Com a cultura do “Faça você mesmo” e de que podemos, cada um de nós, estimular o cuidado com a cidade sem precisar da iniciativa do poder público, em 2014, criamos a campanha no Facebook chamada “Atitude Simples”. O objetivo é mostrar que as consideradas “pequenas e simples ações” podem realmente melhorar a nossa realidade e cuidar dos espaços em que vivemos e ocupamos.

Abaixo, inspire-se com algumas gentilezas para colocar em prática. Ao compartilhar, use a hashtag #AtitudeSimples.

BROOKFIELD-artes-compartilhar-atitudes-simples-bitucas-de-cigarro
Atitude Simples. Descarte bitucas de cigarro em um cinzeiro. Imagem: Instituto Brookfield.
BROOKFIELD-artes-compartilhar-atitudes-simples-bolso-POSTADO
Atitude Simples. Leve o lixo no bolso até encontrar uma lixeira.
BROOKFIELD-artes-compartilhar-atitudes-simples-capte-agua-chuva
Atitude Simples. Capte água da chuva para limpar a casa e regar as plantas. Imagem: Instituto Brookfield.
BROOKFIELD-artes-compartilhar-atitudes-simples-coleta-seletiva
Atitude Simples. Colabore na coleta seletiva do seu prédio. Imagem: Instituto Brookfield.
BROOKFIELD-Carnaval-atitudes-simples-turismo
Atitude Simples. Turismo consciente: respeite a natureza e os costumes locais.

 

Dicas orgânicas para cuidar da horta

Compartilhe:

Pensou em fazer uma horta orgânica ou já tem e precisa de algumas dicas para deixá-la cada dia mais bonita? Sabemos que ter viveiro, canteiro ou horta orgânica é uma tarefa simples, mas que precisa de certos cuidados para mantê-los.

1) Solo

Para preparar o solo, você pode usar matérias orgânicas de origens diferentes. Você pode usar cascas, folhas murchas, pó de café, frutas bem amadurecidas, entre outros. É recomendado que coloque um pouco de calcário dolomítico com uma dosagem certa: no máximo, 200 gramas por metro quadrado. Após fazer isso, molhe o solo sem que fique escorrendo.

2) O adubo

A indicação é enriquecer a terra a cada dois meses, mas o critério do tempo fica nas mãos de quem cuida da horta. Uma das opções orgânicas é usar torta de mamona ou húmus de minhoca como adubo (ambas são ricas em nitrogênio e deixam as folhas fortalecidas e robustas).

3) Ervas daninhas
Elas são plantas indesejadas que crescem na horta e que não se deseja cultivar. Para controlá-las, arranque-as manualmente e cubra o local com palha ou folhas secas. Quando necessário, pegue terra de outro local para colocar nos canteiros (lembre-se que não deve-se retirar da superfície do solo. Prefira sempre esterco ou húmus de origem conhecida.

4) Os insetos
A presença deles não é tão ruim como geralmente imaginamos. Isso pode ser um indicador de que o solo está em bom estado, saudável e equilibrado. O lado negativo acontece quando o inseto ataca a planta. Para isso, devemos ter algumas precauções, lembrando de nunca usar inseticidas agrícolas (são tóxicos e proibidos de serem usados em residências).

Leia também:
Dicas para fazer horta em um metro quadrado

5) A rega

A quantidade de água que as plantas precisam varia de acordo com a cultura, mas alguns cuidados são comunis a todas. Elas precisam ser regadas no início da manhã e no final da tarde (não é aconselhado regar ao meio-dia. Com o calor, a água evapora rapidamente). Outro ponto importante é não encharcar a planta. Molhe as folhas apenas quando for inevitável.

6) As culturas

Varie as culturas para que a terra não se desgaste. Cultivar culturas diferentes em um mesmo canteiro cria o “efeito sinérgico”, em que as plantas se desenvolvem melhor, uma ajudando a outra.

7) Espaços pequenos

Você tem pouco espaço para a horta? Saiba que é possível plantar em espaços pequenos, como varandas, sacadas ou em locais específicos de casa. As hortas verticais são ótimas opções para esses espaços. Há alimentos também que se adaptam a esses locais, como alface, almeirão, capim-limão, cebolinha, coentrol, orégano, hortelã.

Fonte: EcoDesenvolvimento