Reserva Biológica Tamboré recebe ação de plantio

Compartilhe:

reserva-2

No dia 25/03, a Reserva Biológica Tamboré, em Santana de Parnaíba (SP), vai receber uma ação de plantio de mudas nativas da Mata Atlântica. A iniciativa faz parte do Projeto Proteção de Nascentes. O objetivo é conscientizar os jovens em relação à importância dos recursos hídricos e colocar, em prática, ações efetivas para a sua conservação.

Com o auxílio do Projeto Arborizar, da Prefeitura de Santana de Parnaíba, o plantio de mudas nativas da Mata Atlântica tem o intuito de enriquecer a vegetação de nascentes localizadas no município.

Esse plantio, especificamente, vai ser realizado pelo Instituto Brookfield, em parceria com a Guarda Municipal Comunitária (GMC) – que levará os alunos da guarda-mirim para realizar a atividade, e com a Secretaria Municipal de Educação (SME).

Projeto Proteção de Nascentes

O município de Santana de Parnaíba é rico em recursos hídricos, os quais são drenados por três bacias hidrográficas: a do Rio Sorocaba, Rio Tietê e Rio Juqueri.

Muitas nascentes e córregos do município são alvos de desmatamentos, ocupações irregulares, descarte de efluentes residuais, aterramentos e despejo de resíduos, que comprometem a qualidade destes recursos.

Ações de proteção e conscientização da população são essenciais para assegurar a disponibilidade de água potável para a população e de qualidade do meio ambiente. Foi pensando nisso que a Secretaria de Planejamento Urbano e Meio Ambiente criou o Projeto de Proteção de Nascentes. O objetivo é conscientizar a população sobre importância dos recursos hídricos e colocar em prática ações efetivas para a conservação das nascentes localizadas no município Santana de Parnaíba. Com o auxílio do Projeto Arborizar, ele acontece por meio da identificação com placas e plantio de mudas nativas.

Com informações da Prefeitura de Santana de Parnaíba

Dicas de como economizar água em casa

Compartilhe:

child-559407_1280

A sua casa pode ser um espaço importante de preservação dos recursos hídricos. Oportunidades não faltam no dia a dia para mudar seus hábitos — e até conscientizar as crianças.

Confira cinco dicas de ações para colocar em prática com elas:

1) Reutilize a água

Chame as crianças para fazer algumas atividades que não exigem água tratada, como lavar o carro e as calçadas. A água que sobra após o banho na banheira ou ao lavar roupa pode ser reutilizada. Lembre-se de dizer a meninada quais são as atividades que precisam ou não de água potável.

2) Cultive um jardim

Cultivar um jardim em casa é uma forma de explicar sobre a importância da água para a vida. Se não tiver espaço, um simples vaso com uma planta é suficiente como exemplo.

3) Escolha o que e quando comprar

O maior consumo de água acontece fora de casa: cerca de 70% do gasto de água mundial corresponde à agropecuária e 20% à indústria, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Com esses dados, vale a pena refletir sobre os hábitos de consumo da família.

4) Entre em contato com a natureza

Um jeito divertido de educar e conscientizar as crianças é visitar parques no meio da cidade e programar passeios em contato com a natureza.

5) Faça uma lista de ações

Sente com as crianças e crie uma lista do que a família pode fazer para economizar água. Varrer a calçada em vez de lavar com água, reduzir o tempo de banho, entre outras atividade, são ações que resultam em economia. A semana acabou? Então, já é hora de retomar a lista para que vocês avaliem o que foi e o que não foi cumprido.

Com informações do Ciclo Vivo

Reserva ganha mais de mil novas espécies nativas de Mata Atlântica

Compartilhe:

reserva-biologica-v3

Na primeira quinzena de fevereiro, o Instituto Brookfield, em parceria com a Prefeitura de Santana de Parnaíba (SP) e a empresa Jaguari, finalizou o enriquecimento da flora no anexo número 3 da Reserva Biológica Tamboré.

Nesta ação, houve o plantio de 1,5 mil mudas de espécies nativas de Mata Atlântica, em 15 mil metros da Reserva. Todas selecionadas pelo Departamento de Meio Ambiente da Prefeitura. A empresa responsável pelo plantio vai acompanhar o crescimento das mudas ao longo de 20 anos.

A iniciativa reafirma o compromisso do Instituto Brookfield com a preservação e conservação da Reserva Biológica Tamboré.

Entre os muitos benefícios do enriquecimento da flora estão: aumento da presença da avifauna no interior da Reserva, aumento de árvores frutíferas, melhoria na qualidade do ar e do clima, além de melhoria na qualidade da alimentação dos animais.

Sobre a Reserva Biológica Tamboré
Com 3.673.385,71 m2, a Reserva Biológica Tamboré é uma das maiores unidades de conservação brasileiras inseridas no perímetro urbano. Está localizada no bairro Tamboré, em Santana de Parnaíba, município da região oeste da Grande São Paulo. A Reserva é um bem público. O Instituto Brookfield, por meio de um convênio com a Prefeitura, foi autorizado a elaborar programas e projetos que contribuam com a preservação e conservação da Reserva, envolvendo também a comunidade da região nesse processo.

Aprenda a recuperar uma planta seca

Compartilhe:

plant-1603702_1280

Você sabia que é possível recuperar uma planta que secou?

Saiba como fazer com o passo a passo que é bastante simples:

1 – Corte as folhas e os galhos secos;
2 – Retire a planta do vaso com cuidado. Se ela estiver em uma cama de plantio ou no jardim, tire todo o bloco de terra que a envolve. Muito cuidado para manter as raízes intactas;
3 – Coloque a planta — junto com a terra — em um recipiente maior do que o seu tamanho, cheio de água morna. Este passo é essencial para aumentar a absorção da água na terra;
4 – Deixe a planta hidratando por, aproximadamente, dez minutos;
5 – Para que o excesso de água seja drenado, retire a planta do recipiente e a coloque em um prato;
6 – Depois, leve a planta de volta ao seu vaso ou área de plantio;
7 – Pulverize as folhas com água;
8 – Se a sua planta secou por ficar tempo demais exposta ao calor e ao sol, deixe-a na sombra por algum tempo até que ela se recupere;
9 – Por alguns dias, observe o comportamento da planta. O ideal é que o solo permaneça úmido e, aos poucos, ela recupere o seu vigor.

Além dessas dicas, para quem prefere visualizar o passo a passo, buscamos um vídeo que também conta esse processo com detalhes. Assista:

Fontes: Ciclo Vivo e Nô Figueiredo

Dicas para ser mais sustentável em grandes cidades

Compartilhe:

alface

Mesmo morando em cidade grande, existem algumas ações práticas para você se conectar com um estilo de vida mais saudável e consciente. Confira, abaixo, algumas dicas:

1 – Economize, reduza e reaproveite a água

O Sistema Nacional de Informações de Saneamento Básico do Ministério das Cidades calcula que o consumo de água é de, em média, 166,3 litros/dia no Brasil. A ONU recomenda um consumo de 110 litros de água por pessoa, ao dia, tanto para consumo quanto higiene. Por isso, é importante que cada um tenha atitudes mais conscientes, como evitar banhos demorados; desligar a torneira enquanto escova os dentes ou ensaboa as louças e usar a água do enxágue da máquina de lavar roupas para lavar o quintal.

2 – Cultive plantas em casa

Se ter plantas em casa é uma das formas de deixar você mais conectado com a natureza, imagine plantá-las e cultivá-las? Estudos afirmam que cuidar das plantas reduz o estresse e ajuda quem está doente a ter uma recuperação melhor. Você pode começar plantando em vasinhos, em casa mesmo. As ervas são ótimas opções para dar o primeiro passo, por crescerem rápido e serem práticas.

3 – Evite plásticos

As sacolas retornáveis são ótimas opções para evitar os plásticos. Procure também não usar alimentos embalados de maneira excessiva e valorize aqueles que vendem da forma mais natural possível (como bandejas de isopor, por exemplo). Você sabia que muitos desses resíduos plásticos não são reciclados, nem encaminhados para os aterros? Por isso, antes de descartar, tente nem usar.

4 – Compre de produtores locais

Ao comprar de pequenos produtores, você ajuda a diminuir a crise dos alimentos.
É o que defende Michel Pimbert, diretor do Programa de Agricultura Sustentável, Biodiversidade e Subsistência do Instituto Internacional para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (IIED). “O fim da fome e da desnutrição vai depender do apoio que essas instituições receberão por meio de subsídios apropriados e medidas para proteger os mercados locais e nacionais da concorrência de comida barata importada de outros lugares. O desafio é ampliar em escala e difundir as soluções encontradas em cada lugar”, afirma.

5 – Seja mais consciente na hora de comprar seus alimentos

Antes mesmo de fazer suas compras, faça a lista do que está faltando, incluindo a quantidade ideal. Ao fazer isso, você ajudará a evitar o desperdício de alimentos e de dinheiro.

Com informações dos sites Ciclo Vivo e Planeta Sustentável.